Programa CER Baby realiza o acompanhamento de 400 crianças em Foz do Iguaçu

Cada reação aos estímulos que Isis Maria tem é celebrada com festa, tanto pelos pais, como pela equipe de profissionais do Centro Especializado em Reabilitação (CER-IV). A pequena, de nove meses, é atendida pelo CER Baby, programa de reabilitação auditiva oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu.

Durante a avaliação, as fonoaudiólogas utilizam diversas ferramentas para avaliar a audição, a atenção e o foco dos pequenos pacientes, como a repetição de sons na cabine audiométrica, uso de brinquedos sonoros e também a orientação pela voz.

Atualmente, 400 bebês são monitorados pelas equipes, que realizam terapias semanais e avaliações periódicas, conforme o grau de necessidade dos pacientes.

Fabiano dos Santos, pai da Isis, conta que, desde o nascimento, a rotina dela é repleta de compromissos por conta da síndrome de down, contudo, diz ainda que cada um deles se mostrou eficiente para a evolução da filha.

“É muito gratificante ver essa evolução e todo o bom desenvolvimento que a Isis teve neste período mostra que o trabalho tem resultados e que iremos continuar nesse caminho”, completou Fabiano.

Caminho dos atendimentos

Conforme explica a fonoaudióloga Ariane Kimura, todos os recém-nascidos realizam a triagem auditiva neonatal. Caso a criança apresente risco para desenvolver a perda auditiva tardia, ela é encaminhada para o acompanhamento auditivo no CER-IV, até os três anos de idade.

“Com a avaliação nós conseguimos ver qual é o grau de risco da criança. Realizamos o atendimento sempre com duas fonoaudiólogas, pois é necessário empregar uma atenção especial e conseguir o maior número de respostas do bebê”, disse Kimura.

A fonoaudióloga Ana Lígia Maroja ressalta que os acompanhamentos são agendados conforme os resultados de cada avaliação. No caso de Isis, o tempo entre as duas consultas foi de um mês, por conta da necessidade acompanhamento periódico. Em contrapartida, a segunda consulta mostrou uma grande evolução, o que possibilitará um intervalo maior até o próximo atendimento.

Entretanto, alguns pacientes possuem a necessidade de uso do aparelho auditivo, como foi com o Gael, de um ano, que recentemente ficou famoso em todo o país com o vídeo emocionante do momento em que escutou a voz pela primeira ao usar o equipamento. Agora ele dará inicio às terapias para se adaptar à ferramenta.

“Vamos fazer de tudo para continuar esse tratamento com ele e fazer essa adaptação. Estamos muito ansiosos para saber como vai ser e ver como ele vai reagir”, disse a mãe de Gael, Jhenifer Tamires da Silva.

Trabalho conjunto

Além da avaliação feita pelo CER-IV, Isis também é atendida pela APAE e realiza consultas periódicas com o pediatra na Unidade Básica de Saúde. O mesmo procedimento é seguido por muitas das crianças atendidas pelo equipamento de saúde.

“Sozinho nós não conseguiríamos nenhum avanço. Esse apoio é muito importante, até mesmo dentro do CER-IV. Em alguns casos o paciente apresenta outras necessidades, então também o encaminhamos para as demais reabilitações necessárias que temos à disposição, como, por exemplo, física” frisou Maroja.

Ela também menciona a importância dos familiares em todo o processo de reabilitação. “Muitos chegam até nós com medo, mas logo isso passa, pois eles entendem que a criança pode sim evoluir muito bem. Essa rede de apoio em casa, onde eles realizem os estímulos necessários é ainda mais importante, pois são eles que estarão diariamente com a criança”, afirmou Maroja.

“A intenção da reabilitação é promover a autonomia dos pacientes. No caso das crianças, mostramos aos pais que é possível realizar essa adaptação para que o filho tenha uma vida plena em sociedade e realize tudo o que tenha vontade”, destacou Kimura.

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?