Clube inglês oferece R$ 194 milhões por Pepê, atleta revelado no Foz FC

O nome do atacante Eduardo Gabriel Aquino Cossa, o Pepê, voltou a ser especulado pela mídia nacional e internacional esta semana. Após a primeira temporada no Porto, onde venceu o título português, Pepê recebeu uma oferta de 35 milhões de Euros por seu passe, feita pelo Newscastle da primeira divisão da Inglaterra. Apesar das cifras nas alturas, seu atual clube disse não, por enquanto.

Pepê é nascido em Foz do Iguaçu e teve sua primeira oportunidade no futebol profissional em 2015, quando o Foz Futebol Clube disputou a Série D do Brasileiro. No ano seguinte participou do Campeonato Paranaense e, no final da competição, foi vendido ao Tricolor Gaúcho, por onde passou nas categorias de base antes de chegar ao time principal, em 2017.

O Porto já disse que não aceita os 35 milhões de Euros oferecidos pelo Newcastle – aproximadamente R$ 194 milhões. O clube de Portugal aceita liberar o atleta por 60 milhões de Euro, o que abre uma margem para negociações.

A informação sobre a oferta oficial dos ingleses é do portal GE, especializado em notícias esportivas. O Newcastle, clube de futebol mais rico do mundo, busca um atacante de lado e, ainda segundo o site, pode oficializar uma nova proposta, mas que também não deve chegar ao valor exigido pelos portugueses.

 

Novos ares

Logo na primeira temporada no Porto, Pepê tem chamado a atenção de outros clubes europeus. O jogador, foi peça importante da equipe em mais um título português. Ele somou até agora 42 jogos disputados com a camisa do clube, tendo marcado seis gols e dado cinco assistências que terminaram em gols.

Pepê chegou ao Estádio do Dragão, do Porto, depois de se destacar com a camisa do Grêmio, clube o qual defendeu entre os anos de 2016 a 2021, tendo passado pelas categorias sub-19, sub-20, sub-23 e, claro, pelo profissional.

No início do ano passado, o Grêmio assinou a venda do atacante iguaçuense por 15 milhões de euros – aproximadamente R$ 100 milhões, na cotação da época. Na transação, coube ao clube que o revelou, o Foz FC, 30%.

O dinheiro, de acordo com o presidente do clube iguaçuense, Arif Osman, ainda não chegou. “Não recebemos nenhum Real até hoje”, disse ele, em entrevista ao GDia. “Nosso contrato prevê o pagamento em dezembro”, ressaltou.

 

Vendas futuras

Sobre o percentual que cabe ao clube, Arif Osman explicou que “metade desses 30% pertencem ao Pepê e seus empresários. A outra metade ao Foz FC”. Na primeira transação, o Foz FC e o Grêmio fecharam um acordo pelo mais valia, que é o valor pago acima do montante inicial.

“O Foz e o Grêmio retiveram 12,5% do mais valia. (Destes) 10% ao Grêmio e 2,5% ao Foz”, disse. Para exemplificar, sobre o mais valia, Arif adiantou que, como foi vendido ao Porto por 15 milhões de Euros, e agora possa ser vendido por 50 milhões de Euros, “sobre os 35 (milhões de Euros), teremos este direito”, detalhou.

Em negociações futuras, o Foz FC terá direito a 2,5% sobre aquilo que ultrapassar os 15 milhões de Euros, montante pago por Pepê inicialmente. Arif acredita que as negociações atuais não passam de especulação, mas que reza “para que vendam ele umas 10 vezes. Sempre o Foz vai ter um retorno”, concluiu.

 

 

 

 

GDia

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?