Mudanças nas UPAs busca reduzir tempo de espera e humanizar atendimento

A partir da próxima segunda-feira (9), pacientes que procurarem as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) João Samek e Walter Barbosa, em Foz do Iguaçu, serão avaliados por um médico durante a triagem e poderão ser encaminhados para as unidades básicas de saúde, caso o quadro seja de menor gravidade.

Com o referenciamento de pacientes das UPAs para as 29 Unidades Básicas de Saúde do município, a gestão busca reduzir às longas esperas por atendimento dos casos classificados pelas cores verde e azul durante a triagem. Esses pacientes correspondem a quase 70% dos atendimentos/dia. Os casos de urgência e emergência (laranja e vermelho) somam menos de 32% nas duas unidades.

Em razão da maior incidência das doenças respiratórias na chegada do inverno e o alerta de dengue, o grande número de pacientes classificados como leves tem comprometido os atendimentos dos demais e gerado desconforto para quem precisa esperar. Esses casos podem ser acompanhados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) pela equipe de estratégia da família.

O médico da UBS (do Postinho) atende um leque amplo de situações, como crianças, gestantes, idosos, pequenos resfriados e estados gripais; sintomas de dengue e suspeita de Covid-19, além de dores e desconfortos clínicos pontuais ou decorrentes de doenças como hipertensão e diabetes. Ao receber o atendimento para a queixa de menor gravidade, se necessário, esse paciente será acolhido pelo Programa Saúde da Família.

Como está o atendimento nas UPAs

Cerca de 400 pacientes são atendidos em 24 horas por 5 médicos. Com o formato atual, para vencer a demanda, cada médico teria que atender (em média) 1 paciente a cada 2,5 minutos; o que sobrecarregaria os profissionais e poderia comprometer a qualidade do atendimento. O longo tempo de espera inviabiliza o acolhimento humanizado preconizado pelo Sistema Único de Saúde.

O que muda?

Quando o paciente procura a UPA, ele passa pela recepção e na triagem é avaliado pela equipe de enfermagem e, em seguida, por um médico disponível exclusivamente para a sua pré- consulta. Após a avaliação dos profissionais, ele poderá aguardar atendimento ou ser encaminhado para a sua UBS de referência.

Como e quando ele será atendido

Caso seja classificado como leve (verde ou azul), o paciente é inserido no sistema, com alerta para a unidade de saúde. De posse de um encaminhamento impresso, pode ir até a unidade onde, dependendo do estado clínico, receber atendimento ou ser agendado para uma consulta.

Qual o perfil do paciente que vai ser direcionado para a UBS de referência?

Pacientes classificados nas cores verdes e azul

*O que é urgência/emergência ou não, conforme classificação pelas cores (Protocolo Manchester)*

O Protocolo de Manchester consiste na triagem de classificação de risco, na qual a gravidade dos casos é determinada por cores. Os profissionais de saúde realizam uma avaliação do quadro clínico em que o paciente se encontra para colocar uma pulseira com a cor correspondente à gravidade do caso. Nesta etapa, não se faz um diagnóstico, somente a identificação do risco daquele quadro. Essa triagem é feita por um médico ou enfermeiro.

Vermelho: necessita de atendimento imediato.

Laranja: necessita de atendimento praticamente imediato.

Amarelo: necessita de atendimento rápido, mas pode aguardar.

Verde: pode aguardar atendimento ou ser encaminhado para outros serviços de saúde.

Azul: pode aguardar atendimento ou ser encaminhado para outros serviços de saúde.

Quando buscar atendimento na UPA?

O usuário deve ir à Unidade de Pronto Atendimento em situações como:

– Parada cardiorrespiratória;

– AVC – Acidente Vascular Cerebral ou derrame;

– Infarto (dor no peito);

– Febre acima de 39 graus;

– Falta de ar intensa;

– Picada ou mordida de animais venenosos;

– Intoxicações;

– Acidente de carro ou moto;

– Ferimento por arma branca;

– Queimaduras;

– Politrauma (fraturas).

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?