Comprovante de vacinação deixa de ser exigido para entrada em prédios públicos

Durante um mês em vigor, a exigência do comprovante vacinal para a entrada nos prédios públicos e eventos levou mais de 2.500 pessoas a se vacinarem com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. O saldo positivo da medida, somado à redução do número de casos da doença, fez com que a Prefeitura revogasse o decreto.

A partir desta quarta-feira (23) o documento deixa de ser cobrado para a entrada nos prédios públicos e no 2 de março não será mais necessário apresentá-lo em eventos. A medida foi discutida e aprovada em reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 na última semana. Dados apresentados pela Vigilância Epidemiológica demonstraram que a cobrança do comprovante, em vigor desde 22 de janeiro, cumpriu o papel que deveria, levando cidadãos a iniciar o processo de imunização.

“Nenhuma decisão é tomada de forma unilateral. Todas as medidas passam pelo embasamento em levantamentos semanais feitos pelas equipes de saúde. Há um mês, o cenário não nos permitia outra saída a não ser a exigência do comprovante. Vimos que funcionou e muitas pessoas buscaram a vacina, portanto, o resultado se mostrou eficaz”, garantiu o prefeito Chico Brasileiro.

Foz do Iguaçu está entre as cidades do Paraná com os maiores índices de vacinação, devido ao empenho da gestão municipal, desde o início da campanha, em obter doses extras para o município, que possui condição diferenciada por ser de fronteira. Mais de 85% da população de Foz está vacinada com as duas doses e quase 40% já recebeu a terceira dose ou dose de reforço.

Cenário epidemiológico

Após um aumento significativo de casos de covid no mês de janeiro, quando a média de casos por dia chegou a passar de 1.000, em meados de fevereiro o número de casos voltou a diminuir. Nesta segunda-feira (21), foram registrados 107 casos da doença no município. A média móvel está em 205 casos por dia.

“Isso é o reflexo de medidas, do avanço da imunização e do trabalho feito para conter o avanço da doença. Trabalhar de forma integrada vem possibilitando que a Prefeitura saiba como agir e continue criando medidas que beneficiam a população neste enfrentamento”, avaliou a secretária de Saúde, Rosa Jeronymo.

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?