Banco de Leite Humano de Foz atende em média 50 recém-nascidos prematuros

 

Nesta quarta-feira, 19 de maio, é comemorado o Dia Mundial de Doação de Leite Materno, data criada para lembrar o gesto que ajuda a salvar vidas. Em Foz do Iguaçu, o Banco de Leite Humano atende em média 50 recém-nascidos da região, Paraguai e Argentina, em sua maioria prematuros, internados no serviço de Neonatologia do Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Os recém-nascidos que necessitam do serviço são alimentados com o leite humano doado, coletado, pasteurizado, que passou por um controle de qualidade rigoroso. Esses bebês internados recebem o alimento quando prescrito por médico ou nutricionista, principalmente quando, por motivos clínicos, não podem receber o leite da sua própria mãe.

De acordo com o monitoramento do Banco, são doados em média 150 litros de leite humano por mês. O projeto, que completa 20 anos em 2021, foi inaugurado no aniversário do município, em 10 de junho de 2001, na extinta Santa Casa Monsenhor Guilherme.

Os trabalhos tiveram continuidade em março de 2004, no atual Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC). O Banco de Leite Humano de Foz do Iguaçu tem apoio do HMCC, Itaipu Binacional, Secretaria Municipal de Saúde e Rotary Club Foz do Iguaçu.

A rotina diária de um banco de leite humano inclui orientação e apoio à amamentação materna. “Somos também uma casa de apoio à amamentação, atendendo mães com alguma dificuldade neste processo”, explica a coordenadora do Banco de Leite Humano, Roseli Cristiane de Oliveira.

“O leite materno é de extrema importância para o desenvolvimento saudável do bebê. O banco de leite tem a função de auxiliar e orientar essas mães que apresentam dificuldades no início ou durante a amamentação, ou ainda de realizar a doação para as mães que não conseguem amamentar”, afirma a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo.

A maior parte da coleta e das doações de leite humano acontece na residência da doadora, mas o local está sempre à disposição para receber mulheres que por algum motivo prefiram coletar no banco. Basta ligar no telefone (45) 3575-7983 e agendar uma visita que o serviço vai até a residência, e leva frascos estéreis e etiquetas, além de oferecer toda orientação e cuidado na coleta do leite materno.

Cuidados

Para fazer a coleta do leite, a mulher precisa seguir algumas recomendações sanitárias, como usar máscara e gorro fornecido pelo banco de leite, e lavar as mãos e os braços até o cotovelo com água e sabão. É necessário ainda descartar as primeiras gotas ou jatos de leite e retirar o leite materno com a mão ou máquina extratora, e armazenar no congelador, acumulando diversas coletas até encher o frasco.

O leite coletado congelado deve estar no Banco de Leite Humano no máximo em 15 dias, desde o primeiro dia da coleta identificado previamente na etiqueta que foi colada no frasco. Muitos dos cuidados necessários na prevenção do coronavírus (covid-19) já eram realizados no Banco de Leite Humano como uso de máscara, higienização frequente das mãos, entre outros, lembra a coordenadora.

“Mas não atendemos mais em livre demanda, e sim com agendamento para evitar aglomeração. Precisamos substituir os grupos por atendimento virtual, o qual estamos em franco aprendizado para colocar em prática uma nova forma de trocas e aprendizado”, ressalta Roseli.

Orientação

As mães que por algum motivo não conseguem amamentar de forma satisfatória podem buscar ajuda no Banco de Leite ou outro serviço de apoio para que consigam ser orientadas e tenham a possibilidade de amamentar seu filho. O leite do banco é todo destinado para bebês internados na neonatologia.

O alimento contém benefícios fundamentais para a recuperação dos bebês. O objetivo do Banco de Leite Humano é a redução da mortalidade infantil, completa a coordenadora.

Mais informações sobre serviço no link clicando aqui.

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?